X-Men: Primeira Classe


(X-Men: First Class, 2011, 132 min)


Boas a todos.

Acabo de assistir ao filme “X-Men: First Class” e venho reportar a vocês minhas impressões acerca do título.
Para começar devo dizer que achei um dos melhores da série, pareando com Origins: Wolverine. Não que eu ache o filme uma maravilha cinematográfica, jé que tendo a colocar filmes adaptados de HQ em geral numa categoria a parte, servindo tão somente para o entretenimento puro e simples. Nada de dramas ou tramas muito complexos, ou reviravoltas inesperadas. Tendo isso em mente, vamos ao filme propriamente dito.
Como qualquer um que tenha acompanhado a saga X-Men nas telas atéagora já deve saber, a estória trata das origens da dicotomia Xavier/Magneto, bem como de um pouco da vida e infortúnios de cada um deles enquanto jovem. O expectador entenderá um pouco mais sobre a piqué da Mística (Raven) e dos dramas do Professor Hank McCoy (Fera), além de ser apresentado a personagens como Riptide, Azazel, Angel Salvadore, Moira MacTaggert, dentre outros.
O início do filme se passa no ano de 1944, fim da Segunda Guerra Mundial, com o joven judeu Erik Lehnsherr (futuramente Magneto) nas mãos dos nazistas enquanto tenta salvar sua mãe. Não muito longe, na Inglaterra, o garoto Charles Xavier conhece Mística em um encontro inusitado, e acabam por viverem juntos como irmãos. Anos mais tarde, a tese de mestrado de Xavier sobre mutações no gene humano podem dar saltos, gerando pessoas com capacidade fantásticas, chama a atenção do governo estadunidense, que se encontra em conflito com a Rússia e estão prestes a iniciar a Terceira Guerra Mundial. Xavier se alia à Coalizão norte-americana, se revelando, ele próprio, um mutante, e promete ajudar na localização de mutantes que estão interferindo nos acordos de paz entre EUA e URSS. No processo acaba conhecendo Erik, mutante com poderes sobre o eletromagnetismo, que busca vingança contra o nazista que lhe prejudicou terrivelmente no passado. Eles formam uma aliança e passam a recrutar outros mutantes para que possam se ajudar, no processo, ajudar a estabelecer a paz mundial.
Como eu disse, é um bom filme. Mantém o expectador no sofá e, vez ou outra, rende umas risadas (como na cena em que encontram Wolverine, felizmente ainda interpretado por Hugh Jackman). Valeu os R$19,90 pagos no DVD (que não tem nenhum extra e disponibiliza apenas algumas pobres opções de áudio e legenda, diga-se), considerando-se que é um filme recente. Deve cair logo pros R$16,90, se preferirem esperar.

Título: X-Men: Primeira Classe
Original: X-Men: First Class
País: EUA
Elenco Principal: James McAvoy, Michael Fassbender, Kevin Bacon, Rose Byrne, Jennifer Lawrence.
Companhia: Bad Hat Harry Productions, Donners’ Company, Marv Films, Marvel Enterprises, Marvel Studios, Twentieth Century Fox Film Corporation
IMDB: http://www.imdb.com/title/tt1270798/

Curtindo a Vida Adoidado


(Ferris Bueller’s Day Off, 1986, 103 min)

Mais um clássico da Sessão da Tarde. Pode-se dizer que se você nasceu na década de 80 e não assistiu às peripécias de Ferris Bueller, você não teve infância. É quase o mesmo que nunca ter brincado de Pega-Varetas, Pogobol, ou nunca ter tomado Toddy, sei lá.
Ferris Bueller (Matthew Broderick) é um estudante em vias de se formar, mas a quem não se pode tomar como um modelo exemplar de aluno. Sua especialidade é matar aulas, e ele o faz com maestria. Finge uma dor de estômago, engana seus pais e consegue que o deixem faltar à escola nesse dia.
Há no entanto, uma pessoa que não se deixa enganar por Ferris: Ed Rooney (Jeffrey Jones), diretor da escola. Este, após falhar em convencer a mãe de Ferris que seu filho não está doente, sai à caça de Bueller Chicago afora. Como diz um amigo meu, esse personagem é o melhor tipo de vilão: ele não desiste nunca, mesmo depois de ter sido humilhado de quase todas as formas que a mente humana pode conceber.
Outra que não cai na conversa de Ferris é sua irmã Jeanie (Jennifer Grey), que morde o cotovelo de raiva por seu irmão conseguir se dar bem sempre, mesmo desafiando autoridades. Ela fará de tudo para desmascarar o irmão e convencer o mundo de que ele é um pilantra enganador.
Ferris convence seu amigo pessimista Cameron (Alan Ruck) a entrar no jogo, e eles pegam emprestada a Ferrari 250 GT California (1961) do pai de Cameron, apesar dos apelos de Cameron. Pegam o carro e vão buscar a namoraad de Ferris, Sloane (Mia Sara), na escola, e saem para conhecer a cidade inteira, passando por todo tipo de lugar, desde museus a jogos de baseball.
Esse é o tipo de filme pra toda a família: divertido, leve e sem grandes complicações.

Título: Curtindo a Vida Adoidado

Original: Ferris Bueller’s Day Off

País: EUA
Elenco Principal: Matthew Broderick, Alan Ruck, Mia Sara, Jeffrey Jones, Jennifer Grey, Cindy Pickett, Lyman Ward, Edie McClurg, Charlie Sheen
Companhia: Paramount Pictures
IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0091042/

Cegos, Surdos e Loucos


(See No Evil, Hear No Evil, 1989, 103 min)
Sim, amigos, são eles. Gene Wilder e Richard Pryor vão matar vocês de rir nesta comédia sem igual, na qual um cego e um surdo são erroneamente acusados de um assassinato e fogem da polícia no intuito de capturar os verdadeiros bandidos da estória.
Dave Lyons (Gene Wilder) é o propietário de uma pequena loja de conveniências e faz de tudo para não deixar as pessoas saberem que ele é surdo. Conversa com elas normalmente lendo seus lábios, até que elas se virem de costas para ele e as situações mais cômicas aconteçam.
Wally (Richard Pryor) é um sujeito hilário por natureza, mas detesta ser tratado como um cego, apesar de essa ser a sua realidade. Chega ao ponto de ajudar outro cego a atravessar a rua para não dar o braço a torcer.
Agora imagine essas duas figuras juntas, colocando a polícia no chinelo enquanto perseguem os dois vigaristas que os meteram nessa enrascada toda. O cego dirigindo um carro em fuga, o surdo sendo interrogado na delegacia, brigas de bar, dentre outros. No entanto, os malfeitores não podem ser menosprezados: Kirgo (Kevin Spacey) é um homem com coração de pedra, e faz o que for necessário para atingir seus objetivos.
Eve (Joan Severance) por outro lado é uma mulher linda e letal, que faz uso de seus atributos femininos para encantar qualquer homem e enganar os desavisados.
O álibi da dupla injustamente acusada reside numa suposta moeda roubada por Kirgo e Eve, a qual Wally e Dave tentam desesperadamente recuperar de forma a provar sua inocência.
A comédia foi um clássico da Sessão da Tarde nos anos 90 e é garantia de boas risadas e assunto no trabalho por dias a fio. É daqueles filmes difíceis de se encontrar à venda, mas que vale a pena ter em casa.

Título: Cegos, Surdos e Loucos
Original: See No Evil, Hear No Evil
País: EUA
Elenco Principal: Gene Wilder, Richard Pryor, Joan Severance e Kevin Spacey
Companhia: TriStar Pictures
IMDB: www.imdb.com/title/tt0098282/

Butch Cassidy


(Butch Cassidy and the Sundance Kid, 1969, 110 min)

Mais um filme de uma das melhores duplas de atores já vistas: Paul Newman e Robert Redford. Dessa vez interpretando a famosa dupla de ladrões do velho oeste: Butch Cassidy (Newman) e Sundance Kid (Redford).
Os dois são assaltantes de bancos e trens, sendo Butch o cabeça e Kid o briguento. São famosos por sua perícia, sempre conseguindo assaltar o que quer que seja, não importando a segurança do local.
O problema é que, cansado de ser assaltado, um magnata coloca os homens mais perigosos do Oeste no encalço dos dois gatunos, e eles são obrigados a fugir como nunca.
A estória é fantástica e hilária, ficando difícil tirar os olhos da tela. A relação entre os dois vigaristas é o maior atrativo da trama, mesmo que às vezes pareçam não concordar acabam por fazer de tudo pra se ajudarem.
Algumas curiosidades cercam a produção dessa película, como o fato de a irmã do verdadeiro Butch Cassidy ter acompanhado as filmagens, ou o fato de Paul Newman fez manobras de bicicleta após constatar que o dublê, que as deveria executar, era um incompetente.
Filme de ponta, vale a pena conferir. Deliciem-se com as piadas irônicas de Butch Cassidy e com o temperamento estourado de Sundance Kid nessa produção histórica de 40 anos atrás.

Título: Butch Cassidy
Original: Butch Cassidy and the Sundance Kid
País: EUA
Elenco Principal: Paul Newman, Robert Redford, Katharine Ross
Companhia: 20th Century Fox Studios
IMDB:
www.imdb.com/title/tt0064115/

Golpe de Mestre


(The Sting, 1973, 129 min)


Esse filme extraordinário mostra a vida de um grupo de vigaristas em Chicago nos anos 30 onde se destaca um aprendiz de golpista chamado Johnny Hooker (Robert Redford) aplicando um “conto do vigário” na Máfia.

Só não contava que o chefão da organização Doyle Loningan (Robert Shaw) ficasse furioso e mandasse matar todos os que participaram do golpe, fazendo então que num momento de pânico ele procurasse a ajuda de um vigarista bêbado e aposentado chamado Henry Gondorf (Paul Newman) com o objetivo de vingar-se da perda de seu amigo e mentor Luther (Robert Earl Jones).

O final do filme é surpreendente e muito criativo fazendo com que os expectadores não tirem os olhos da tela.

Essa película recebeu 7 prêmios e o Oscar de melhor filme em 1973.

Os atores Paul Newman e Rober Redford reeditaram o mesmo sucesso que tiveram no fime anterior chamado Butch Cassidy

Scaramouche


(Scaramouche, 1952, 115min)

Filme refilmado em 1952 e que tem a cena de maior duração em luta de esgrima.
No elenco destacam-se o ator Stewart Granger, a atriz Janet Leigh e Eleanor Parker, numa trama que se passa na França pré-Revolução.
O filme conta a estória de um homem que, revoltado com a morte de seu melhor amigo por um nobre, decide vingá-lo e toma aulas de esgrima para enfrentar o seu algoz,o Marquês de Maines (Mel Ferrer).
É um clássico do cinema poucas vezes passado na TV e difícil de se encontrar em DVD.
Vale a pena conferir essa produção que traz de volta os tempos românticos de capa e espada.