Operação Dragão


(Enter the Dragon, 1973, 98 min)

operação dragão

Antes de começar a falar dos filmes do épico Bruce Lee, devo salientar que é minha opinião que seus filmes, por revolucionários que tenham sido (para a categoria em questão), não são tão interessantes quanto ler e assistir a documentários sobre a vida desse que foi um dos maiores artistas marciais da História. Seus filmes nem de longe fazem jus ao que Bruce Lee representa para as artes marciais (TODAS), muito embora sejam recheados de ação, algum drama e tentativas de introdução de seus conceitos filosóficos (tentativas frustradas, na minha opinião).

Isso dito, lembrem-se: a produção é de 1973. Bruce Lee revolucionou a maneira de filmar cenas de ação com suas tomadas diferentes das habituais (em termos de lutas) até então.

O que se via nos cinemas eram ninjas voadores, mestres espadachins superpoderosos, etc. Bruce Lee sempre interpretou um simples ser-humano. Com habilidades de luta refinadas, sim; mesmo com uma musculatura que não parecia possível para humanos mas, ainda assim, um humano. Portanto, se você hoje em dia gosta de assistir às cenas de ação com Jet Li, Jackie Chan, Steven Seagal, Chuck Norris, etc., saiba que isso começou com Bruce Lee.

9-operac3a7c3a3o-dragc3a3o

O título em questão conta a estória Lee, um discípulo de um templo de artes marciais que é contratado por uma espécie de Black Ops (Operações Especiais) para investigar o que se passa na ilha de um empresário milionário, suspeito de tráfico de drogas e assassinatos. Lee é chamado pelo fato de a ilha ter entrada restrita, exceto por um evento que seu proprietário promove a cada 4 anos: um torneio de artes marciais.

Lee é enviado para participar do torneio e, enquanto na ilha, deverá investigar e prover quaisquer provas que liguem o empresário às suspeitas de assassinatos e tráfico de drogas.

É um filme bacaninha, mais para aficionados por artes marciais que para o público em geral. Mas fica mais saboreável com uma pequena dose de informação acerca da história de Bruce Lee e seus conceitos filosóficos (indicarei outros títulos que satisfaçam este quesito em breve).

 

Título: Operação Dragão
Original: Enter the Dragon
País: Hong Kong / USA
Elenco Principal: Bruce Lee, John Saxon, Jim Kelly, Ahna Capri.
Diretor: Robert Clouse
Companhia: Golden Harvest Company
IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0070034/

Anúncios

Sanjuro


(Tsubaki Sanjuro, 1962, 96 min)

220px-SanjuroPoster

Povo, assistam a este filme. Não que Akira Kurosawa precise dos meus lamentáveis elogios, ou que Toshiro Mifune passe a semana esperando minha opinião a respeito de sua atuação, mas esse filme é muito bom.

Toshiro Mifune interpreta um ronin (samurai andarilho/sem senhor feudal) que se envolve com jovens idealistas que tentam livrar seu clã da corrupção. O tesoureiro se recusa a aderir ao plano de seus jovens discípulos que, por sua vez, resolvem tratar diretamente com o superintendente local. Seu plano dá sai pela culatra, e eles vêem suas vidas serem salvas pelo “imprestável” ronin sem nome, que os dá algumas lições de capacidade analítica, habilidade com a espada e esperteza.

Falar mais seria estragar uma excelente trama. Fica a dica: aluguem, comprem, emprestem, mas assistam Senjuro. Um balde de pipocas e uns refrigerantes acompanham bem.Daí por diante o que ocorre é uma verdadeira batalha para conseguir salvar o clã das ambições do superintendente, com excelentes diálogos, empolgantes lutas entre samurais e uma atuação impecável de Toshiro Mifune.

Grande abraço, e boa sessão.

Título: Sanjuro
Original: Tsubaki Sanjuro
País: Japão
Elenco Principal: Toshirô Mifune
Diretor: Akira Kurosawa
Companhia: Europa Filmes
IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0056443/

Sombras da Noite


(Dark Shadows, 2012, 113 min)

Ok, assisti ao filme Sombras da Noite, o qual eu ansiava há algum tempo por assistir. Os trailers me empolgaram bastante, e a parceria Burton / Depp costuma me agradar, salvo algumas excessões. Pois eis que este título entra na minha lista de excessões.

SOMBRAS DA NOITE

Fiquei bastante desapontado ao constatar que o que o filme tinha de bom estava nos trailers, e que o restante ficou muito aquém do padrão de qualidade de Tim Burton. Johnny Depp, creio, não pode levar culpa nessa: interpretou muito bem o que lhe foi dado. O pecado está na trama e na falta de timing (ao meu ver) das passagens mais humoradas.

O protagonista (Barnabás) é até cativante, mas o que parece é haver uma tentativa desesperada de enfiar drama e comédia dentro das quase duas horas de filme, e todo o filme acaba comprometido. Personagens secundários demais (muitos dispensáveis) e sem qualquer profundidade, estórias paralelas sem a mínima importância, fatos mal explicados, dentre outros, tornam o filme um blockbuster de qualidade média/baixa. Houve momentos em que lutei contra a vontade de usar o fast-forward, o que é lamentável.

 

Título: Sombras da Noite
Original: Dark Shadows
País: EUA
Elenco Principal: Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Eva Green.
Diretor: Tim Burton
Companhia: Warner Bros.
IMDB: http://www.imdb.com/title/tt1077368/